«Álvaro Cunhal é uma personalidade marcante, em Portugal e no mundo

quinta-feira, 25 de abril de 2013

“Cinco Dias, Cinco Noites”, em Barcelos

«O livroCinco Dias, Cinco Noites”, de Manuel Tiago (pseudónimo literário de Álvaro Cunhal) foi o escolhido para estar em debate no passado sábado, dia 6 de abril, pelas 16h00 horas, na Biblioteca Municipal de Barcelos.
A
obra foi adaptada para cinema, com título homónimo, em 1996, sob a realização de José Fonseca e Costa, filme que foi exibido no dia 20 de abril, às 16h00, também na Biblioteca Municipal de Barcelos, com entrada livre.
A
rubricaLivros e Filmes da Minha Vida” uma parceria do Pelouro da Cultura - Biblioteca Municipal com a Zoom, quis homenagear Álvaro Cunhal neste mês de abril em que se comemora a democracia e a liberdade e num ano em que se evocam os 100 anos do seu nascimento.Com uma vida inteiramente dedicada à luta pela liberdade, pela democracia e pelo socialismo, Álvaro Cunhal foi também o homem, o literatura, com o romance, novela e o conto, quer no plano das artes plásticas.
Cinco Dias, Cinco Noites” é uma novela publicada em 1975. A ação desenrola-se no Norte de Portugal, nos finais dos anos 40, e centra-se em duas personagens, oriundas de realidades diferentes que, perante a adversidade, vão estabelecer um enorme respeito uma pela outra. André, com 19 anos, evade-se da prisão e é forçado a fugir de Portugal. Na cidade do Porto, um amigo apresenta-lhe um passador, contrabandista e com cadastro, conhecido como Lambaça, que vai ajudar o jovem a passar a fronteira de Trás-os-Montes, pois conhece bem a região. A partir do momento em que se conhecem, desenvolve-se um sentimento de antipatia entre André e Lambaça. No entanto, para transpor a fronteira, os dois convivem cinco dias e cinco noites, por montes e vales, a tentar despistar a polícia, e a desconfiança inicial entre eles começa a desvanecer-se, passando a gerar-se um sentimento de respeito e admiração que prevalece após a sua separação

Sem comentários:

Publicar um comentário