«Álvaro Cunhal é uma personalidade marcante, em Portugal e no mundo

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

REFERÊNCIAS

(porque faço parte do colectivo deste blogue e nele pretendo continuar)
 
Não podermos sobreviver sem referências sociais ou físicas é mais do que um axioma, está provado cientificamente. Todo o indivíduo, clã ou nação afirmam-se pelas referências que os suportam e alimentam.

Enquanto houver classes, um dos objectivos do opressor está em anular os suportes ideológicos da classe que o intimida, com o propósito de lhe tolher o ânimo abrindo mais facilmente brechas no seu campo ao bombardeio constante a que ideologicamente a sujeita.

No século passado Álvaro Cunhal foi, a nível nacional, a personalidade a quem mais atributos foram concedidos, não houve notícia de alguém que conglomerasse de modo tão indelével a acção, o conhecimento e a sensibilidade.

Álvaro Cunhal interpretou os anseios da classe trabalhadora, e fê-lo de tal modo que se tornou referência da classe que o criou.

Compete aos comunistas manter viva essa referência e que, sob o pretexto do culto da personalidade, não entrem com este falso preconceito nas hostes dos inimigos de classe que tudo faz para o denegrir ou eliminar do nosso imaginário.

Com base neste pressuposto entrei neste colectivo que, não obstante as tarefas do quotidiano – e se as houve!... –, integrou a própria efeméride nas lutas que os comunistas enfrentaram.

Outra grande efeméride se nos apresenta, referência e símbolo, à qual devemos no dia a dia dar o nosso melhor, o 40º aniversário do 25 de Abril que, tal como Álvaro Cunhal, tantos engulhos vem causando aos que procuram por todos os meios, e são imensos, travar o caminho que vimos trilhando no combate à exploração e à conquista da liberdade merecida.

Sem comentários:

Publicar um comentário