«Álvaro Cunhal é uma personalidade marcante, em Portugal e no mundo

segunda-feira, 18 de março de 2013

Sessão cultural evocativa no âmbito das Comemorações do Centenário de Álvaro Cunhal

Dado o "excepcional" relevo dado a esta conferência da imprensa, em que esteve presente, em funcões, um profissional da comunicação social (!), será talvez (não) dispensável insistir na sua divulgação.
Por isso, aqui se volta a fazer-lhe larga referência:

A Comissão Promotora da Sessão cultural evocativa no âmbito das Comemorações do Centenário de Álvaro Cunhal realizou, no Jardim de Inverno do São Luiz Teatro Municipal, uma conferência de imprensa de apresentação do Programa da respectiva Sessão, que terá lugar no próximo dia 23 de Março, na Aula Magna).
A apresentação do programa coube a Armando Caldas (Actor e Encenador), Fernanda Lapa (Actriz e Encenadora) e Samuel (Cantor).
A comissão promotora disponibilizou uma nota, que abaixo se reproduz.
"Sessão evocativa – a dimensão intelectual, artística, humana e militante de Álvaro Cunhal
Um conjunto de personalidades - homens, mulheres e jovens – oriundas das mais variadas expressões artísticas, da cultura, da ciência e do ensino, do desporto e do trabalho, promovem a Sessão evocativa cultural de homenagem a Álvaro Cunhal, a ter lugar no próximo dia 23, às 15H, na Aula Magna da Reitoria Universidade de Lisboa, em cuja Faculdade de Direito Álvaro Cunhal fez a sua licenciatura, razão pela qual esta Universidade se associou à homenagem.
No próximo dia 10 de Novembro faz 100 anos que nasceu Álvaro Cunhal, uma das figuras mais marcantes da sociedade portuguesa no século XX e na passagem para o século XXI. Referência incontornável da luta pela liberdade, a democracia, a emancipação social e humana dos trabalhadores e dos povos. Álvaro Cunhal foi também o homem, o intelectual, o artista com um apaixonado interesse por todas as esferas da vida, nomeadamente, pela actividade de criação artística que se expressa nas suas obras, quer no plano da literatura, com o romance e o conto, quer no plano das artes plásticas com o desenho e a pintura, quer ainda no plano da reflexão teórica sobre a estética e a criação cultural.
Poucos portugueses marcaram tão profundamente a história do nosso país, razão pela qual este conjunto de personalidades independentes, decidiu promover a homenagem ao homem, ao intelectual, ao artista, ao militante. Na sessão cultural evocativa, um espectáculo cujo guião está centrado nos momentos mais significativos da vida e acção de Álvaro Cunhal ao longo de 92 anos, participam um conjunto de artistas que se quiseram associar a esta homenagem:

Ana Maria Pinto (cantora lírica), acompanhada ao piano por Joana Resende; Cândido Mota; Companhia de Dança de Almada; Hélder Moutinho com Ricardo Pereira, André Ramos e Yami; Janita Salomé e Vitorino com os Cantadores do Redondo; Joana Manuel; João Paulo Esteves da Silva; João Reis; José Wallenstein; Luísa Ortigoso; Magna Tuna Apocaliscspiana do ISCSP; Maria do Céu Guerra; Mário Laginha e Camané; Rita Lello; Samuel; Sebastião Antunes; Teresa Gafeira; Tavares Marques; Tim; Tocá Rufar com Rui Júnior; Uxia, acompanhada ao piano por Paulo Borges; Zeca Medeiros com Jorge da Silva, Gil Alves, Rogério Cardoso Pires e Manuel Pires da Rocha."

Sem comentários:

Publicar um comentário