«Álvaro Cunhal é uma personalidade marcante, em Portugal e no mundo

quarta-feira, 23 de outubro de 2013

"Até Amanhã Camaradas" em cinema

 

Joaquim Leitão reedita a série televisiva numa versão cinematográfica para assinalar o centenário do nascimento de Álvaro Cunhal.

O romance "Até amanhã, camaradas", de Manuel Tiago, pseudónimo literário do antigo líder do PCP, Álvaro Cunhal, foi adaptado para cinema numa longa-metragem assinada por Joaquim Leitão, quase dez anos depois da estreia da série televisiva.

De acordo com a produtora MGN, a longa-metragem terá estreia comercial nos cinemas a 7 de novembro, três dias antes de se cumprir o centenário do nascimento do histórico secretário-geral do PCP (falecido em 2005).

O filme, com a duração de três horas, é uma montagem do realizador Joaquim Leitão do material da série televisiva homónima, exibida na SIC em 2005 em seis episódios.

"Até amanhã, camaradas" conta com argumento de Luís Filipe Rocha a partir do romance de Manuel Tiago, pseudónimo literário que Álvaro Cunhal só desvendou em 1994.

A obra, que gira em torno da vida do PCP nos anos 1950 e 1960, da clandestinidade, das lutas populares e da resistência ao regime fascista, foi publicada em 1974 pelas Edições Avante e Manuel Tiago era, então, um autor desconhecido, que assinou ainda "Cinco dias, cinco noites" (também já adaptado para cinema por José Fonseca e Costa), "A estrela de seis pontas" ou "A casa de Eulália".

O elenco da série televisiva contou com mais de 130 atores, como Gonçalo Waddington, Leonor Seixas, Marco DAlmeida, Carla Chambel, Paulo Pires, Cândido Ferreira, Adriano Luz e São José Correia, além de alguns milhares de figurantes.

Quando a série televisiva foi apresentada, em 2004, Joaquim Leitão afirmou que "Até Amanhã, Camaradas" era "uma história de amor e aventura, de militância, de dedicação de uma vida a lutar por aquilo em que se acredita, com um fundo histórico e político exaltante e de uma época da história pouco conhecida". 

Lusa



Sem comentários:

Publicar um comentário